domingo, 16 de março de 2014

Clube do Filme 2014 (Março)

Eis aqui, com um dia de atraso perdoado, a primeira postagem do clube do filme cujo tema foi "guerra". Tive sorte, pois é um dos gêneros que mais gosto no cinema e como já havia assistido a muitos bons filmes, fui buscar lá atrás (anos 80) um clássico dirigido por Stanley Kubrick e que me passou batido até agora quando resolvi dar uma chance a essa pérola do cinema e ver se, após os seus 116 minutos, eu também faria parte desse grande grupo que a põe na lista dos melhores filmes de guerra de todos os tempos.


Nascido Para Matar (1987)
(Full Metal Jacket)
Direção: Stanley Kubrick

Um sargento treina de forma fanática e sádica os recrutas em uma base de treinamentos, na intenção de transformá-los em máquinas de guerra para combater na Guerra do Vietnã. Após serem transformados em fuzileiros navais, eles são enviados para a guerra e quando lá chegam, se deparam com seus horrores.

Bom, o filme começa com um ritmo frenético de situações e diálogos ao apresentar uma turma de soldados em treinamento no corpo de fuzileiros navais dos Estados Unidos.
Logo nessa primeira etapa, a trama abre espaço para muitos momentos de tensão psicológica entre os personagens. Em alguns momentos dá até para dar umas risadas, mas a sensação de constrangimento é inevitável; com destaque para os personagens do Sargento Hartman (R, Lee Ermey) - nosso eterno xerife Hoyt de "O Massacre da Serra Elétrica" - e do Soldado Pyle (Vincent D'Onofrio).




Então, sem spoilers, vem a segunda etapa quando os soldados já estão em solo vietnamita; e aí sim,  temos imagens da guerra, a tensão, o medo, a adrenalina e a devastação de um país retratada em um campo de batalha, tudo suavizado por uma trilha sonora bem bacana.
Em um determinado momento do filme nos sentimos como se estivéssemos assistindo a um documentário com as opiniões dos próprios soldados envolvidos a respeito da guerra e da presença dos Estados Unidos no Vietnã - bem interessante!


Enfim, o filme é realmente isso tudo que falam dele, porque, na minha opinião, é um filme bem diferente sobre um tema que ficou tão "batido" nas grandes telas no final da década de 70 e na década de 80. É um filme de guerra sem ser chato e pesado (para quem não gosta de filme desse gênero por achar que só tem barulho), mas ao mesmo tempo faz você sentir os horrores da guerra e, de uma certa forma, tentar entender o que se passa na cabeça daqueles que estão ali envolvidos naquela situação.


E para quem quiser saber mais sobre a Guerra do Vietnã e seus horrores, visite os links abaixo:

Um comentário:

Nara disse...

Amei a sua resenha. Depois de ver o meu escolhido, fiquei mais receptiva a filmes do gênero. Vou definitivamente deixar de lado o preconceito e ver esse também! ;)
Aliás, amei a sua lista todinha!!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...